Preço não é tudo mais

“A revolução do varejo” foi tema de palestra ministrada na reunião quinzenal do CDL Jovem desta quarta-feira, 14 de outubro, na sede da CDL/BH. O especialista em varejo e fundador do portal Varejo 1, Fred Rocha, relatou um resumo de tudo o que ele viu no Pós-shop.org, maior evento sobre varejo digital do mundo, realizado no início deste mês nos Estados Unidos. 
 
Durante o evento, Rocha visitou várias empresas norte-americanas para conferir o que elas tem feito em relação ao varejo digital, o que ele chama de “a revolução do varejo”.  Segundo o especialista, o Pós-shop.org demonstrou a consolidação do multicanal, ou seja, hoje as empresas têm que estar presentes na vida dos consumidores com suas lojas físicas, virtuais e smartphones. “Para o consumidor, online e off-line tanto faz, o que ele quer é conveniência e que atendam suas necessidades, não importa o canal”, disse.
 
Para ele, o mobile foi o responsável pela consolidação do varejo multicanal, pois é o elo entre o físico e o online. E os smartphones estão cada vez mais presentes na vida das pessoas. Pesquisa revela que 66% dos americanos levantam com o celular na mão, 75% usam o telefone no banheiro e 50% do tráfego de internet do Wallmart vem do mobile. 
 
Outro tema abordado pelo especialista foi o marketplace, modelo de varejo que reúne inúmeras empresas no mesmo canal, podendo ser loja física ou virtual, a exemplo da Amazon, Alibaba e Mercado Livre. Para Rocha, esse pode ser um bom caminho para quem quer entrar no e-commerce. Segundo ele, 33% dos americanos compram no marketplace, e esse número sobe para 90% na China. No Brasil, 25% dos consumidores já aderiam às compras nesses canais, e 80% desse público pertence ao Mercado Livre. 
 
E por fim, Rocha apresentou outra tendência forte presente no varejo americano, a personalização. Segundo ele, precisamos conhecer nossos clientes e nos colocar em seu lugar para atendê-lo melhor. “No Brasil ainda achamos que preço é tudo e estamos no caminho errado”, disse. Para ele, a concorrência é tão alta que para aumentar a participação de mercado é necessário criar altos níveis de personalização de produtos e serviços. 
 
 
Dálcia de Oliveira
Comunicação e Marketing da CDL/BH